SEJA BEM VINDO A ARTCAMARGO

Vendas: (11) 3224-5460

Cadernos de Desenho MUCHA

Disponível: Em estoque

R$34,90
OPÇÕES DE PARCELAMENTO COM CARTÃO DE CRÉDITO
Nº de Parcelas
  • 2x sem juros
  • 3x sem juros
Valor da Parcela
  • R$17,45
  • R$11,63

Descrição Rápida

Cadernos de Desenho MUCHA

Cadernos de Desenho MUCHA

Duplo clique para aumentar/diminuir imagem

Reduzir
Aumentar

Mais Imagens

Detalhes

CADERNOS DE DESENHO ALPHONSE MUCHA – ESTUDOS DA FIGURA FEMININA Cadernos de Desenho MUCHA No sentido lato da expressão, o tcheco Alphonse Mucha foi o primeiro artista plástico moderno, senão, o primeiro a vislumbrar a arte como meio de comunicação de massa, como uma forma de expressão na publicidade de produtos industrializados, e intuiu a arte como uma mediadora entre o público e os eventos voltados ou não para as artes. Designer gráfico e ilustrador, Alphonse Mucha (1860-1939) se popularizou por admitir ainda no século XIX que seu traço magnífico fosse apreciado nos cartazes reproduzidos em litografias em cores que anunciavam peças de teatro ou produtos, tais como bebidas, cartazes esses afixados em locais públicos franqueados a todas as pessoas — foi dessa forma que Mucha libertou a arte do confinamento praticado em museus e galerias de arte e a expôs aos olhos das pessoas comuns. Mucha nasceu e cresceu durante a expansão da Revolução Industrial pelo mundo, quando a evolução tecnológica e social que vinha se processando na Europa desde a Baixa Idade Média ganhou um enorme impulso — indivíduo atento às novidades de seu tempo, foi provavelmente o primeiro artista plástico a usar os recursos da fotografia para a produção de seus trabalhos, utilizando fotos de modelos, além de modelos vivos, para criar suas magníficas figuras femininas, que muito embora fossem idealizadas no sentido de alcançar uma perfeição de beleza, guardavam semelhanças irrefutáveis com as mulheres reais. Assim, o estilo de traço de Mucha variou entre o naturalismo e a idealização, além de recorrer a uma estilização que derivava do Barroco, ainda muito presente no XIX, na Europa e na América (e de forma modificada em países orientais, inclusive), como continuação natural do Renascimento. Ao incorporar aos seus desenhos os florais e os traços geométricos, além do impressionante desenho de letras, tão poderoso que até os dias de hoje sobrevive como inspiração para a criação de fontes tipográficas e caligráficas, Alphonse Mucha conectou-se pioneiramente ao design gráfico, principalmente nos materiais impressos. Ao admitir a influência do exotismo oriental, vinda da arte persa e egípcia na decoração das suas figuras, e da arte árabe nos seus florais, Alphonse Mucha definiu uma nova escola artística, a Art Noveau, e influenciou a Art Déco que ocorreu na sequência. Este volume de Cadernos de Desenho apresenta um resumo da obra de Mucha, incluindo estudos de figuras, que mostram a forma como ele criava as obras que eternizaram seu estilo, ainda muito influente no design gráfico, na pintura e até mesmo no desenho de histórias em quadrinhos de hoje. CADERNOS DE DESENHO ALPHONSE MUCHA – ESTUDOS DA FIGURA FEMININA Editora Criativo Autor: Alphonse Mucha ISBN 978-85-64249-84-4 Formato: 25,5 x 36 cm 36 páginas SOBRE O AUTOR Alphonse Maria Mucha (1860-1939) nasceu na província de Moravia (na época incorporada ao Império Austríaco, atual República Tcheca). Na Moravia, fez seus primeiros trabalhos de arte pictórica pintando cenários para teatro. Em 1879, Mucha mudou para Viena, para trabalhar como decorador numa grande companhia teatral vienense, enquanto completava informalmente sua educação artística. De volta a Moravia, Mucha foi contratado para decorar os murais do palácio do conde Karl Khuen, e este ficou tão impressionado com a qualidade do trabalho que se propôs a financiar a educação formal de Mucha na Academia de Belas-Artes de Munique. Mucha mudou para Paris em 1887, e continuou seus estudos na Académie Julian e Académie Colarossi, e passou a trabalhar como ilustrador, criando ilustrações para revistas e cartazes de propaganda. Um pôster que Mucha fez para uma peça com Sarah Bernhardt, a atriz mais famosa de Paris de então, proporcionou-lhe um contrato vantajoso com Bernhardt que durou seis anos. A partir de então, já como artista conhecido, Mucha produziu uma infinidade de pinturas, posters, arte gráfica para publicidade em revistas e cartazes, ilustrações para livros, além de projetos de desenho para joalheria, tapeçaria, papel de parede e cenografia para teatro. O estilo de Mucha ficou conhecido como Art Noveau (‘nova arte’ em francês). Seu estilo ganhou projeção internacional com a Exposição Mundial de Paris, de 1900. Embora tenha adquirido fama e riqueza com sua arte comercial, o artista declarava-se frustrado pelas poucas chances que teve de se concentrar em projetos artísticos, como era seu desejo. A ascensão do nazi-fascismo na Europa, nos anos 1930, resultou com os trabalhos de Mucha, assim como seu nacionalismo eslavo serem denunciados pela imprensa como “reacionários”. Na primavera de 1939, quando as tropas nazistas alemãs invadiram a Tchecolosváquia, Mucha foi preso pela Gestapo. O efeito dessa violência foi devastador para a saúde do artista, que contraiu pneumonia na prisão. Embora tenha sido solto, Mucha veio a morrer em Praga, em 14 de julho de daquele mesmo ano, em decorrência da doença.

Informação Adicional

Marca N/A